Presidente faz apelo que não haja violência em protestos deste domingo

A presidente Dilma Rousseff  pediu para que as pessoas não sejam violentas durante as manifestações contra o mandato programadas para este domingo (13) em pelo menos 110 cidades do país. Ela sobrevoou de helicóptero, neste sábado (12), o município de Franco da Rocha e outras cidades da Grande São Paulo destruídas pela chuva na madrugada da última sexta-feira (11).

“Eu faço um apelo para que não haja violência. Eu acho que todas as pessoas têm direito à rua. Agora, a violência ninguém tem direito de fazer. Ninguém. Lado nenhum”, disse Dilma.

A presidente também pediu respeito aos participantes dos protestos e que não haja provocação entre os grupos pró e contra o governo.

Eu acredito que o ato de amanhã deve ser tratado com todo o respeito. Não acho que seja cabível e acho que é um desserviço para o Brasil qualquer ação que constitua provocação, violência e atos de vandalismo de qualquer espécie. Então faço um apelo. Um apelo pela paz. Pela paz e pela democracia”, destacou.

Direito à manifestação

Dilma lembrou ainda da época da ditadura, em que manifestações eram vistas como atos subversivos. Logo, levavam à prisão. “Eu vivi em um momento em que se você se manifestasse, você ia preso. Se discordasse, você ia preso. Nós agora, não. Nós vivemos um momento que as pessoas podem se manifestar, podem externar o que pensam. E isso é algo que nós temos de preservar”, salientou a presidente.

Dilma já havia falado sobre o direito à manifestação na sexta-feira (11).  “Temos que manter o que é vitória da democracia brasileira e uma delas é o direito à manifestação”, afirmou.

Na ocasião, a presidente garantiu que protestos são “momento importante” para o país porque, segundo ela, afirmam a democracia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Redação Brasil News

Redação Brasil News

Principais noticias politicas e economicas do Brasil, com analises de uma equipe de jornalistas e escritores independentes.