A 30 dias das olimpíadas, Rio vê problemas cada vez mais acentuados

O Rio de Janeiro entra nesta terça-feira (05/07) em contagem regressiva de 30 dias para o início dos Jogos Olímpicos e os problemas sociais, econômicos e estruturais da cidade colocam em risco o potencial de sua imagem. Em vez de impulsionar as belezas e virtudes da cidade, as últimas notícias fazem do megaevento um cartão-postal das adversidades cariocas.

Por um lado, a cidade está quase pronta para receber os jogos, com instalações esportivas entregues e obras próximas da conclusão. Por outro, há o decreto de calamidade pública, evidenciando a crise financeira do estado; os problemas na segurança; os atletas que cancelaram a participação por causa do vírus zika; e promessas que não foram adiante, como a despoluição da Baía de Guanabara, acendem sinal vermelho para a capacidade da cidade em receber o evento.

“O Rio de Janeiro enfrenta uma tempestade perfeita. Há crises em diversas áreas”, disse Lamartine DaCosta, pesquisador do Comitê Olímpico Internacional (COI) e professor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj). “Mas não existem Jogos sem problemas: eles foram registrados em todos estes eventos nesta fase de gigantismo a partir de Sidney [em 2000], quando passaram a ser monumentais”, ponderou.

Calamidade pública

Em 17 de junho, a 49 dias para o início do evento, o governo do Rio de Janeiro declarou calamidade pública devido à crise financeira. Pelas contas, a cidade tem déficit de 19 bilhões de reais em 2016. Um dos motivos apresentados pelo governador em exercício, Francisco Dornelles, para optar pela medida é que a ausência de verba impediria o estado de honrar os compromissos com os Jogos Olímpicos e Paralímpicos.

“Realmente houve uma nítida chantagem, que é comum em qualquer governo do mundo. Mas, por outro lado, do ponto de vista político, a decisão [de declarar calamidade pública] está correta, pois o prejuízo seria muito maior se a crise prejudicasse os Jogos”, apontou DaCosta. “O Rio não é um fato isolado. Nos Jogos de Londres, por exemplo, a Câmara dos Comuns tentou embargar muitas das modificações que foram feitas no final da construção das instalações olímpicas.”

Após análise, o governo federal enviou 2,9 bilhões para o estado. Deles, cerca de 800 milhões de reais serão utilizados para pagar a metade do salário de maio e o integral de junho dos policiais.

Redação Brasil News

Redação Brasil News

Principais noticias politicas e economicas do Brasil, com analises de uma equipe de jornalistas e escritores independentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *