Central de Compras abre processo para contratação de serviços de transportes

Está aberta até o próximo dia 15 de março, a Intenção de Registro de Preços – IRP para a contratação de serviço de transporte terrestre dos servidores, empregados e colaboradores a serviço da Administração Autárquica e Fundacional com unidade no Distrito Federal.

A licitante contratada deve disponibilizar solução tecnológica para a operação e a gestão do serviço em tempo real, por meio de aplicação web e aplicativo mobile, e Central de Atendimento para registro de solicitações de serviço e orientação aos usuários. O processo está sendo conduzido pela Central de Compras do Governo Federal, sendo este o órgão gerenciador e responsável pela demanda da Administração Pública Federal direta. As autarquias e fundações públicas federais com unidade no DF, assim, atuam como participantes nessa contratação.

O Ministério do Planejamento disponibilizou os seguintes contatos para solução de eventuais dúvidas: [email protected]; (61) 2020-8670 ou (61) 2020-8665.

Sistema de registro de preços e intenção de registro de preços

Diante do certame, o advogado e professor de Direito Jorge Ulisses Jacoby Fernandes esclarece que o Decreto nº 7.892/2013, que regulamentou o Sistema de Registro de Preços – SRP, formalizou a Intenção de Registro de Preços – IRP, ferramenta que já existia no portal Comprasnet e agora veio a ser regulamentada por decreto federal.

A norma dispõe que fica instituído o procedimento de Intenção de Registro de Preços, a ser operacionalizado por módulo do Sistema de Administração e Serviços Gerais, que deverá ser utilizado pelos órgãos e entidades integrantes do Sistema de Serviços Gerais, para registro e divulgação dos itens a serem licitados”, explica.

O objetivo da IRP é somar as demandas de todos os órgãos públicos interessados no objeto que será licitado, ampliando o número de participantes. Ocorre, contudo, que o Decreto deixou um vácuo: não trouxe a conceituação do IRP.

Dessa forma, Jacoby destaca que a adoção da expressão “Intenção de Registro de Preços” não foi uma nomenclatura feliz para se referir ao instituto.

“Melhor seria a aplicação de outro substantivo que simplificasse a questão e que trouxesse o significado de compras compartilhadas: licitação para contratações compartilhadas, por exemplo. De todo modo, está sendo usado pela Administração Pública, trazendo benefícios para as contratações”, conclui Jacoby Fernandes.

Redação Brasil News

Redação Brasil News

Principais noticias politicas e economicas do Brasil, com analises de uma equipe de jornalistas e escritores independentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *