Governo carioca tem R$ 5,5 bilhões em dívidas com fornecedores

O governo do Rio de Janeiro está passando por grave crise econômica, além de atrasos de salários, o estado está com uma dívida de R$ 5,5 bilhões com empresas fornecedoras de produtos e mão de obra. Só este ano, os débitos acumulados já chegavam a R$ 2 bilhões em março. Como há empresas sem receber há 10 meses, o estado já enfrenta ameaças de paralisação.

O HemoRio, por exemplo, viveu no último domingo uma paralisação de funcionários administrativos da empresa Angels — o que acarretou a suspensão, ao longo daquele dia, da coleta de sangue na unidade, que funciona normalmente em todos os dias da semana.

O setor de alimentação é um dos que está em situação crítica. Empresas que fornecem para restaurantes populares entregaram, no início do mês, um ofício ao secretário estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, Paulo Melo, ameaçando parar os serviços em 15 dias, caso os pagamentos não sejam regularizados. A preocupação é a mesma entre funcionários da Peça Oil, que repara ambulâncias de três serviços: Samu, transporte inter-hospitalar e UPAs.

Situação alarmante

Segundo o advogado e professor de Direito Jorge Ulisses Jacoby Fernandes, a situação econômica do Rio de Janeiro é grave, com insuficiência em setores importantes, como foi o caso do colapso na saúde no final do ano passado.

“A insegurança no pagamento é uma das grandes dificuldades enfrentadas por aqueles que contratam com a Administração Pública. A conjuntura enfrentada pelo estado do Rio de Janeiro provoca tais situações. O empresariado, porém, em alguns casos, não possui alternativa senão a paralisação dos serviços por insuficiência de recursos para a sua continuidade. Para muitos, a Administração Pública é o cliente principal, o que agrava ainda mais a situação dessas empresas”, ressalta Jacoby Fernandes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Redação Brasil News

Redação Brasil News

Principais noticias politicas e economicas do Brasil, com analises de uma equipe de jornalistas e escritores independentes.