Pesquisa aponta que Portos têm menor investimento em 14 anos

De acordo com o levantamento realizado pela Confederação Nacional da Indústria – CNI, o investimento nos portos brasileiros atingiu o patamar mais baixo em 14 anos. No ano passado, foram investidos apenas R$ 175 milhões de um total previsto de R$ 660 milhões. Os dados levam em conta os investimentos aplicados nas Companhias das Docas.

Há uma incapacidade gerencial e normalmente as docas estão embaixo de um apadrinhamento político”, diz o gerente de infraestrutura da CNI, Wagner Cardoso.

As Companhias das Docas têm um papel fundamental na qualidade dos portos brasileiros. São elas, por exemplos, responsáveis pela manutenção do acesso terrestre aos terminais.

Conforme especialistas ouvidos pelo portal G1, as docas são apenas um dos entraves do sistema portuário brasileiro, pois existem outros gargalos, como a grande concentração do uso do porto de Santos para a exportação e o atraso tecnológico, sobretudo nos portos públicos.

Assim, na avaliação da CNI, a solução para a Companhia das Docas é a privatização. O Programa de Parceria de Investimento – PPI do Governo Federal, já prevê, por exemplo, a desestatização da Companhia Docas do Espírito Santo e de vários terminais.

“O modelo atual está nos afastando dos padrões mundiais de navegação”, diz Cardoso.

Setor de Portos ainda é promissor

De acordo com o advogado especialista em Portos Victor Sholze, do escritório Jacoby Fernandes & Reolon Advogados Associados, conforme a Secretaria de Portos da Presidência da República, 95% do volume das exportações brasileiras são realizadas por meio marítimo, o que denota a importância de estruturação jurídica para o crescimento do setor nacional.

Ainda, cerca de 80% do Produto Interno Nacional encontram-se nas unidades da federação com acesso à costa marítima. Por isso, foi lançado o Plano Nacional de Logística Portuária, que é um instrumento de planejamento estratégico. Com tanto potencial, é uma pena saber que os portos não estão sendo tão valorizados como deveriam”, observa.

Conforme o especialista, o PNLP projeta um crescimento de 103% na demanda de movimentação de carga nos portos brasileiros até 2042 e se não houver brevidade no trato com o setor, o plano não será atingido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Avatar
    21/11/2018 a 17:13
    Permalink

    Boa tarde amigos do Brasil, nosso maior problema é a infraestrutura logística nos 5 modais de transporte, desburocratização dos portos brasileiros, incentivo da cabotagem, novos entrantes no mercado internacional e para isso aumentar a dragagem no porto, vias de acesso, ampliação dos portos, etc…
    No meu ponto de vista, a solução virá a partir de 2019 quando o novo governo fará reformas políticas em todas as esferas.

    Responder
Redação Brasil News

Redação Brasil News

Principais noticias politicas e economicas do Brasil, com analises de uma equipe de jornalistas e escritores independentes.