Principais noticias dos jornais nacionais de Domingo, 5 de Março de 2017

Manchete do jornal O Globo: Embaixadas da era PT podem ser fechadas

Manchete do jornal Folha de S.Paulo: Lista de Janot inclui ministros e senadores de PMDB e PSDB

Manchete do jornal O Estado de S.Paulo: Exportação reage e deve ter o melhor resultado em 3 anos

 

Temer decide nomear aliado de Cunha para líder do governo no Congresso, diz a Folha

Na tentativa de evitar retaliações do chamado “centrão”, o presidente Michel Temer decidiu nomear para a liderança do governo no Congresso Nacional o deputado federal André Moura (PSC-SE), ex-líder do governo na Câmara dos Deputados e nome próximo a Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

A escolha faz parte de esforço do peemedebista para unificar a base aliada para a votação da reforma previdenciária, cuja expectativa do Palácio do Planalto é aprová-la na Câmara dos Deputados ainda no primeiro semestre deste ano.

Nas palavras de um assessor presidencial, o gesto tem como objetivo “curar as feridas” da eleição para o comando da Câmara dos Deputados, realizada em fevereiro. Integrantes de partidos do centrão que trabalharam por candidaturas rivais acusam o presidente de ter auxiliado a reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Na época, diante do movimento do Palácio do Planalto, integrantes do centrão ameaçaram obstruir a proposta na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) e vinham articulando mudanças no texto original enviado pelo governo federal.

http://equilibreanalises.com.br/noticias/2017/03/05/temer-decide-nomear-aliado-de-cunha-para-lider-do-governo-no-congresso-diz-a-folha/

 

Esforço é para aprovar reforma da Previdência dentro do prazo, diz O Globo

O novo formato do time que será responsável pelas articulações do governo com o Congresso ganhou rapidez a partir do afastamento do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha. Considerado o braço-direito do presidente Michel Temer, Padilha atuava na linha de frente das negociações pela aprovação da reforma da Previdência. Licenciado para tratar de problemas de saúde, o ministro pode prolongar a temporada fora de Brasília após o advogado José Yunes, amigo de longa data de Temer, ter dito em depoimento à Procuradoria-Geral da República (PGR) que serviu de “mula” para Padilha em 2014, quando recebeu um envelope do doleiro Lúcio Funaro. A suspeita é que o pacote contivesse dinheiro para uso na campanha eleitoral do PMDB.

Após a nomeação de Moreira Franco como ministro da Secretaria Geral e de Antonio Imbassahy para a Secretaria de Governo, Temer finalizou a composição da equipe que servirá ao Planalto com a escolha de Romero Jucá para a liderança do governo no Senado, de André Moura como líder do governo no Congresso e de Aguinaldo Ribeiro na liderança do governo na Câmara. A intenção, no Palácio do Planalto, é evitar atrasos na tramitação da reforma da Previdência durante a ausência de Padilha.

http://equilibreanalises.com.br/noticias/2017/03/05/esforco-e-para-aprovar-reforma-da-previdencia-dentro-do-prazo-diz-o-globo/

 

A sombra e o braço direito é o título da coluna de Miriam Leitão

As últimas semanas foram difíceis para o governo Temer. Apesar de não dizer que tratou de valores com o presidente, Marcelo Odebrecht deu elementos suficientes para elevar o risco de um voto pela cassação da chapa. As desavenças entre José Yunes e o ministro Eliseu Padilha mostram como as suspeitas chegaram ao círculo próximo do presidente. Os dois sempre foram a sombra e o braço direito de Temer.

Ahistória que José Yunes contou para a revista “Veja” parece repetição da desculpa dada por Henrique Pizzolato na época do mensalão. Yunes disse que em setembro de 2014 Padilha lhe disse que alguém lhe entregaria um envelope. Esse alguém que chegou no escritório era o notório Lúcio Bolonha Funaro. Yunes disse que precisou pesquisar no Google para saber quem era. Se pesquisou bem, encontrou que Funaro esteve envolvido com o Banestado, mensalão, Satiagraha. Foi delator no mensalão. Funaro, que agora está preso na Papuda pela Lava-Jato, é uma espécie de elo entre os escândalos. Mas Yunes precisou do Google. E a história se desenrola exatamente como a de Pizzolato: “depois disso veio outra pessoa e levou o documento que estava com a minha secretária.” Ele também não se lembra o nome dessa pessoa que levou o tal pacote. Está faltando imaginação aos suspeitos de corrupção no Brasil: eles já estão se repetindo.

http://equilibreanalises.com.br/editorial/2017/03/05/a-sombra-e-o-braco-direito-e-o-titulo-da-coluna-de-miriam-leitao/

 

Presidente põe Jucá na liderança do Senado é o título de matéria no Estadão

O presidente Michel Temer se reuniu ontem com o senador Romero Jucá (PMDB-RR) e com o deputado André Moura (PSC-SE) para oficializar a reestruturação nas lideranças do governo no Senado e no Congresso. Conforme antecipou a Coluna do Estadão, Jucá será o novo líder do governo no Senado e Moura vai assumir o lugar do peemedebista na liderança do governo no Congresso.

A mudança ocorre após a ida do senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), então líder no Senado, para o Ministério das Relações Exteriores no lugar do tucano José Serra – que deixou a Esplanada dos Ministérios e voltou à cadeira de senador.

O peso da liderança do governo no Senado tradicionalmente é maior, já que a casa é revisora das propostas legislativas. Cabe aos senadores, portanto, dar a palavra final sobre os projetos que são dali enviados para a sanção presidencial. Com relação estreita com o Planalto, Jucá terá a função de fazer a articulação com os integrantes da Casa para aprovar reformas consideradas pilares do governo Temer.

http://equilibreanalises.com.br/noticias/2017/03/05/presidente-poe-juca-na-lideranca-do-senado-e-o-titulo-de-materia-no-estadao/

 

Para visualizar todas a noticias dos jornais nacionais, visite a pagina do site Equilibre Analises

Redação Brasil News

Redação Brasil News

Principais noticias politicas e economicas do Brasil, com analises de uma equipe de jornalistas e escritores independentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *