Principais noticias dos jornais nacionais de Terça-feira 14 de Março de 2017

Manchete do jornal O Globo: Congresso insiste em separa caixa 2 de propina

Manchete do jornal Folha de S.Paulo: Caixa 2 era modelo reinante, afirma Emílio Odebrecht

Manchete do jornal O Estado de S.Paulo: ‘Caixa 2 sempre foi reinante no País’, diz Emílio Odebrecht

Manchete do jornal Valor Econômico: Governo prepara mudança no incentivo à informática


Resposta prévia é o título de matéria no Globo

Às vésperas do pedido de investigação de dezenas de parlamentares citados na delação da Odebrecht, políticos de diversos partidos, integrantes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e o próprio presidente Michel Temer resolveram atuar para mudar as regras eleitorais e de financiamento das campanhas em 2018. Os envolvidos no debate sustentam que as alterações servirão para baratear os custos e, com isso, reduzir as irregularidades na disputa. Paralelamente, um grupo de deputados e senadores defende também que se aprove uma regulamentação que permita uma anistia para crimes cometidos em financiamento eleitoral nos últimos anos, e que estão na mira da Lava-Jato.

O presidente Michel Temer agendou para a próxima quarta-feira, no Palácio do Planalto, uma reunião sobre reforma política com os presidentes do Tribunal Superior Eleitoral, Gilmar Mendes, do Senado, Eunício Oliveira, e da Câmara, Rodrigo Maia. Será a primeira reunião formal de Temer para tratar do assunto. Até agora, o presidente vinha afirmando que a reforma política era uma atribuição fundamentalmente do Congresso. Dois pontos centrais devem ser abordados: a adoção de voto em listas partidárias e a criação de uma regra que limite o número de partidos.

Com a decisão do Supremo Tribunal Federal de proibir as doações de empresas, políticos de todos os matizes e mesmo ministros do TSE defendem a necessidade de se encontrar novas formas de financiamento para as campanhas. Em um almoço na residência oficial de Rodrigo Maia, no domingo, o presidente do TSE, Gilmar Mendes, citou um levantamento do cientista político Antônio Lavareda, mostrando que só os gastos declarados de caixa 1 ao TSE, pelos deputados federais, na última eleição, somaram R$ 5 bilhões, sem contar a campanha de deputados estaduais, senadores, governadores e presidente da República. E os recursos do Fundo Partidário para todas as campanhas não chegam a R$ 5 bilhões.

http://equilibreanalises.com.br/noticias/2017/03/14/resposta-previa-e-o-titulo-de-materia-no-globo

 

Base e oposição tentam blindar doações e dificultar condenações, diz a Folha

Líderes governistas e de oposição no Congresso articulam a apresentação de um projeto de lei com objetivo de blindar doações eleitorais –oficiais e por meio de caixa dois– e dificultar condenações na Lava Jato a partir de contribuições de campanha.

A proposta é estabelecer critérios que deixem claro quais atos de um parlamentar devem ser considerados suficientes para que a doação, por dentro ou por fora, seja considerada propina.

Querem, com isso, diferenciar o que é um ato de corrupção do que consideram atividade parlamentar legítima, em defesa de interesses de setores econômicos.

A estratégia, articulada por aliados de Michel Temer, foi levada para discussão no Planalto nesta segunda-feira (13) e explicitada pelo líder do PT, Carlos Zarattini (SP).

“Tem de chegar a um texto que crie uma definição clara do que será essa prova. Do jeito que está, toda a atividade parlamentar está sendo criminalizada. Tem que separar o que é atividade política legítima do que é atividade política ilegítima. Estão jogando tudo no mesmo balaio”, afirmou o deputado.

A proposta surge no momento em que o Congresso e o Executivo se preparam para a revelação dos pedidos de inquérito que serão feitos pela Procuradoria-Geral da República a partir das delações da Odebrecht.

http://equilibreanalises.com.br/noticias/2017/03/14/base-e-oposicao-tentam-blindar-doacoes-e-dificultar-condenacoes-diz-a-folha

 

Janot deve entregar hoje ao Supremo pedidos de abertura de inquérito, diz o Valor

Está prevista para hoje a aguardada entrega, pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, dos cerca de 80 pedidos de abertura de inquéritos decorrentes das delações premiadas da Odebrecht. Os pedidos serão apresentados ao Supremo Tribunal Federal (STF) com a solicitação de retirada do sigilo da maior parte das 78 delações do grupo, em que executivos e ex-executivos citam deputados, senadores, ministros, o presidente Michel Temer e alguns presidenciáveis para 2018.

A intenção da força-tarefa da Lava-Jato na Procuradoria-Geral da República (PGR) era terminar a tarefa ontem. Procuradores passaram o fim de semana revisando os documentos. Mas alguns detalhes técnicos acabaram deixando a conclusão para os próximos dias. A intenção continua sendo entregar as solicitações ao STF no prazo mais imediato, ou seja, ainda hoje.

O envio dos pedidos de inquérito é esperado com apreensão no meio político. Junto com eles, Janot pedirá a retirada do sigilo da maior parte das delações. Permanecerão em segredo apenas dados que puderem embasar novas medidas cautelares, como buscas e prisões, e informações relacionadas a crimes cometidos no exterior, que ainda precisam ser investigados nos respectivos países.

http://equilibreanalises.com.br/noticias/2017/03/14/janot-deve-entregar-hoje-ao-supremo-pedidos-de-abertura-de-inquerito-diz-o-valor

 

Para visualizar todas a noticias dos jornais nacionais, visite a pagina do site Equilibre Analises

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Redação Brasil News

Redação Brasil News

Principais noticias politicas e economicas do Brasil, com analises de uma equipe de jornalistas e escritores independentes.