800 mil crianças nigerianas já foram atingidas pelo terror do Boko Haram, diz Unicef

Um ano após o sequestro de duzentas estudantes na cidade de Chibok, completado na última terça (14), A UNICEF lançou campanha nas redes sociais utilizando a hashtag #bringbackourchildhood para lembrar a tragédia. A campanha “leading Snapchat artists” compartilha imagens baseadas em desenhos de crianças na Nigéria, Chade, Níger e Camarões. Varias obras de arte podem ser vistas no Facebook, Twitter, Instagram e Tumblr para sensibilizar o mundo com a lembrança do terror, mas os horrores causados nas crianças da Nigéria apenas se intensificaram desde então.

“Cerca de 800 mil crianças foram forçadas a fugir de suas casas por causa do conflito no Nordeste da Nigéria entre o Boko Haram, as forças militares e grupos de auto-defesa civil”, segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). “O número de crianças que deixara suas casas para sobreviver dentro da Nigéria ou cruzando a fronteira para o Chade, Níger e Camarões, dobrou em pouco menos de um ano”, confirmou a entidade das Nações Unidas.

Mais de 1,5 milhões de pessoas fugiram de casa devido à violência, diz a UNICEF. Cerca de 1,2 milhões estão deslocados dentro da própria Nigéria, enquanto outros atravessaram a fronteira para os países vizinhos como os Camarões, Chade e Níger.

A grande maioria dos deslocados, cerca de 880 mil, estão abrigados em comunidades de acolhimento com pouco acesso à ajuda humanitária, colocando pressão adicional sobre serviços básicos muito precários como a saúde, educação e serviços sociais.

Sequestro das meninas

«Em 14 de abril de 2014, os sequestros em uma escola de meninas em Chibok pelo grupo islâmico Boko Haram foi apenas uma das tragédias que depois foram replicada em grande escala na Nigeria», disse Manuel Fontaine, diretor regional da Unicef na Africa. “Dezenas de meninas e meninos desapareceram na Nigéria ou foram sequestrados, recrutados por grupos armados, atacados, usados ​​como armas, ou forçados a fugir da violência. Eles têm o direito a ter de volta uma infância”, concluiu.

As crianças estão sendo usadas ​​pelo Boko Haram como combatentes, cozinheiros e vigias. As mulheres e meninas estão sendo submetidos a casamento forçado, trabalho forçado e estupro. Pelo menos 196 professores e 314 alunos foram mortos em 2014 e mais de 300 escolas foram danificadas ou destruídas.

 

Boko Haram

“Boko Haram” significa literalmente “a educação não-islâmica é um pecado”. Trata-se de uma organização terrorista que alega combater a corrupção dos governos, a falta de pudor das mulheres e a prostituição. Para o Boko Haram, os culpados por esses males são os cristãos, a cultura ocidental e a tentativa de educar mulheres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pierre Pichoff

Escritor, colabora para diversos veículos de comunicação no Brasil, como O Estado do Maranhão e o Matheus Leitão News.