Festa na China mata milhares de cães para festa gastronômica

Aproximadamente dez mil cães e gatos foram mortos no Sul da China, no Festival em Yulin, famosa festa gastronômica. O evento, que ocorreu na semana passada, porém, causou revolta em boa parte da população. Grupos em defesa dos animais fizeram protestos pedindo o fim da “tradição”, que começou a ter mais força em 1995.

Apesar da carne canina ainda ser apreciada em alguns locais da China, principalmente na área rural, ao Sul do país, a população de classe média, principalmente os mais jovens, tentam banir o consumo de suas tradições. Hoje, grupos em defesa dos animais buscam apoio de celebridades para evitar a ação. Eles também têm pressionado o governo chinês no sentido de punir aqueles que incentivam o comércio.

Segundo o representante da China na Humane Society International (HSI), Peter Li, a pressão das ONGs está fazendo o Festival perder a força. Tanto é que o próprio governo chinês cedeu à pressão e iniciou uma campanha, pedindo aos proprietários de restaurantes que não mencionem em seus cardápios a carne de cachorro ou gato.

Em Hong Kong, o consumo de carne de cachorro foi banido em 1953. Ainda assim, é comum ver pessoas comendo o “prato” diariamente. Segundo ONG Animals Asia, mais de 10 milhões de cães são abatidos para o comércio alimentício todos os anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Redação Brasil News

Redação Brasil News

Principais noticias politicas e economicas do Brasil, com analises de uma equipe de jornalistas e escritores independentes.