Segundo NY Times, Bill Cosby assume assédio em depoimento

O comediante Bill Cosby, de 78 anos, teria descrito, em detalhes, como assediou e drogou mulheres com quem teve relações sexuais. A informação é do jornal americano The New York Times. De acordo com a publicação, ele disse ter tido relações sexuais com pelo menos cinco mulheres nestas condições e que tentou esconder os assuntos de sua esposa.

Segundo o jornal, Cosby nega que seja um predador sexual que agrediu mulheres. Ele se diz apenas um “playboy arrogante sem remorso e que aproveitava da fama”.

O jornal divulgou no último sábado (18) a cópia de um interrogatório feito há dez anos em um hotel em na Filadélfia. Na ocasião, o comediante se defendia de uma ação movida por uma jovem que o acusou de drogá-la e molestá-la.

No relato, o comediante conta como seduzia as mulheres e fingia ter interesse nos problemas das vítimas. Cosby descreve que obteve sete prescrições para o quaaludes – calmante popularmente utilizado em festas – de um médico de Los Angeles e que deu às mulheres jovens que festejaram com ele.  Segundo o relato, sexo e consumo de drogas foram consensuais. 

O comediante é acusado por mais de 30 mulheres, desde novembro passado, de agressão sexual ou estupro após drogá-las, incluindo menores de idade. 

No início do mês, uma organização que defende vítimas de abuso sexual nos Estados Unidos fez uma petição formal ao presidente Barack Obama para retirar de Bill Cosby uma alta condecoração recebida em 2002.

Em evento na semana passada, o presidente dos EUA criticou as supostas atitudes do comediante afirmando: “Se você dá a uma mulher ou a um homem uma droga sem que ela tenha conhecimento disto, e depois mantém relação sexual com esta pessoa sem seu consentimento, isto é um estupro”. “Penso que este país, como qualquer país civilizado, não deveria tolerar isto”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carla Machado

Carla Machado

Jornalista com experiência em assessoria de imprensa, onde trabalhou na produção de conteúdo interno e externo e no atendimento à imprensa, e em jornal, revista e site, nos quais foi repórter. No dia 22 de maio de 2014, recebeu o prêmio Paulo Octavio de Jornalismo, pela categoria Melhor Série de Reportagem, com a série #Brasíliaquerandar, do Jornal de Brasília.