Vídeo exibe tratamento desumano dado aos refugiados na Hungria

Um vídeo publicado na internet revela a desumanidade no tratamento aos sírios que estão no campo de Roszke, entre a Hungria com a Sérvia. As imagens mostram aproximadamente 150 pessoas dentro de um cercado tentando pegar sanduíches que eram literalmente atirados para eles por policiais húngaros.

“Era desumano, e isto também mostra algo sobre estas pessoas, que não brigaram pela comida, embora estivessem com fome”, disse Michaela Spritzendorfer, voluntária austríaca que filmou as imagens.

Depois da divulgação do vídeo, a polícia húngara afirmou que irá abrir investigação para apurar os fatos. Já o governo húngaro justificou o comportamento dos policiais, dizendo que eles só estavam “tentando manter a ordem”.

“Era como alimentar animais presos em um cercado, como Guantánamo na Europa”, disse um amigo da voluntária austríaca que gravou as imagens, Klaus Kufner.

Após ver as imagens, a Human Rights Watch se pronunciou e disse que os refugiados estavam sendo mantidos como “gados em currais”.

“Policiais cumprindo obrigações”

O porta-voz do governo húngaro, Zoltan Kovacs, respondeu às críticas e afirmou não ver nada de excepcional nas imagens.

“Eu vejo policiais que estão cumprindo obrigações durante meses, tentando atender a 23 mil imigrantes que chegam de forma continuada todos os dias, enquanto não há cooperação de nenhum tipo”, Kovacs por e-mail à agência Reuters.

O governo húngaro ergueu, em Agosto, uma cerca de arame ao longo da fronteira de 175 km com a Sérvia. A ideia era criar uma barreira para evitar a entrada dos refugiados.

Na última quinta-feira (10) também, o Exército húngaro começou a reforçar a segurança na fronteira com a Sérvia.

“Vamos enviar três mil ou quatro mil soldados à fronteira, incluindo reservistas”, avisou o ministro da Defesa húngaro, István Simicskó.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carla Machado

Carla Machado

Jornalista com experiência em assessoria de imprensa, onde trabalhou na produção de conteúdo interno e externo e no atendimento à imprensa, e em jornal, revista e site, nos quais foi repórter. No dia 22 de maio de 2014, recebeu o prêmio Paulo Octavio de Jornalismo, pela categoria Melhor Série de Reportagem, com a série #Brasíliaquerandar, do Jornal de Brasília.