Dilma abre espaço na coordenação política do Governo para base aliada.

Os ministros Gilberto Kassab, das Cidades, filiado ao PSD, Aldo Rebelo, da Ciência e Tecnologia, do PC do B, e Eliseu Padilha, da Aviação Civil, do PMDB, vão dividir a coordenação política com o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante numa resposta da presidente Dilma às pressões que vem recebendo de alguns setores da base aliada e do ex-presidente Lula no sentido de melhor o diálogo com a base aliada ao governo no Congresso Nacional. Fontes palacianas, contudo, dão como certa a substituição do ministro de Relações Institucionais, Pepe Vargas, pelo ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).

A presidente Dilma, que este nessa terça-feira, dia 11, esteve em Rio Branco para visitar as vítimas da cheias na capital acreana, numa rápida entrevista aos jornalistas, que queriam saber sob o destino do ministro Aloizio Mercante, a presidente disse: “Não há nenhuma alteração na coordenação política a não ser a seguinte: nós vamos aumentar o número de pessoas e de partidos, obviamente, e vamos fazer um rodízio sistematicamente trazendo ministros novos para o debate”.

Os jornalistas que se dedicam à cobertura política em Brasília citam fontes palacianas para informar que as pressões contra a presença do ministro Aloizio Mercadante na coordenação política do governo têm partido do ex-presidente Lula, que não esconde sua insatisfação com o trabalho de Mercadante. O ex-presidente teria dito inclusive que “se ele fosse tão bom, teria sido ministro no meu governo”.

Na segunda-feira, dia 9, Lula participou de jantar com a presidente Dilma no Palácio da Alvorada, onde estavam presentes também os ministros Aloizio Mercadante, da Defesa, Jaques Wagner, da Secretaria-Geral, Miguel Rossetto, e o presidente do PT, Rui Falcão. O estranho, segundo alguns analistas, foi a ausência no encontro de outros integrantes do núcleo duro da articulação política, como o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, das Relações Institucionais, Pepe Vargas, e das Comunicações, Ricardo Berzoini.

Num esforço para afastar as especulações sobre as ingerências de Lula no governo da presidente Dilma, a Secretaria de Imprensa da Presidência da República tratou de divulgar uma nota ontem negando “rumores” de que Lula tenha sugerido à presidente Dilma a troca na chefia da Casa Civil. “O ministro Aloizio Mercadante tem total confiança da presidenta e seguirá cumprindo suas funções à frente da Casa Civil”, diz trecho da nota. O Instituto Lula também divulgou nota negando que o ex-presidente tivesse feito críticas ao ministro da Casa Civil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Redação Brasil News

Redação Brasil News

Principais noticias politicas e economicas do Brasil, com analises de uma equipe de jornalistas e escritores independentes.