Em nova denúncia, Cunha é citado outra vez na Lava Jato

O ex-gerente-geral da área Internacional da Petrobras e novo delator da Lava-Jato, Eduardo Vaz Costa Musa, disse ter ouvido que “quem dava a palavra final” nas indicações à Diretoria Internacional da Petrobras era o presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A afirmação foi feita à Força Tarefa da operação.

Segundo o delator, foi o próprio João Augusto Henriques, lobista preso nesta segunda-feira (21), na 19ª fase da Lava-Jato, que teria revelado a ele quem eram as indicações políticas na Diretoria. “Que João Augusto Henriques disse ao declarante que conseguiu emplacar Jorge Luiz Zelada para diretor internacional da Petrobras com o apoio do PMDB de Minas Gerais, mas quem dava a palavra final era o deputado federal Eduardo Cunha, do PMDB-RJ”, declarou.

Histórico

Esta não é a primeira vez que o nome de Eduardo Cunha é citado nas investigações de Operação Lava Jato. Antes, o empresário e outro delator da Lava-Jato, Júlio Camargo, revelou ter sofrido pressão do parlamentar para ceder ao parlamentar propina de US$ 5 milhões referentes a dois contratos de navio-sonda da Petrobras com uma firma representada por Camargo.

O presidente da Câmara, porém, vem negando com firmeza o envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Redação Brasil News

Redação Brasil News

Principais noticias politicas e economicas do Brasil, com analises de uma equipe de jornalistas e escritores independentes.