Centro de Convenções Ulysses Guimarães recebe propostas para PPP

Diversos equipamentos públicos do Distrito Federal estão abertos para recebimento de propostas de Parceria Público-Privada – PPP, um deles é o Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Empresários interessados em gerir o espaço estiveram em audiência pública do projeto para esclarecer dúvidas quanto ao modelo de negócio. A previsão de receita para a empresa que vencer a concessão é de R$ 800 milhões em 30 anos.

O concessionário que ficar responsável pelo espaço terá de pagar R$ 1,5 milhão por ano de outorga e fazer investimento inicial de R$ 79 milhões — valor que inclui construção de restaurante, de cozinha, de estacionamento privado subterrâneo com mil vagas, ampliação do estacionamento público e manutenção da infraestrutura. O prazo para essas obras são os dois primeiros anos de parceria.

Etapa importante do processo, a audiência pública não é conclusiva para a consulta, que ocorre até 20 de maio. Propostas ainda podem ser enviadas por e-mail ou via postal para a Secretaria de Fazenda. A abertura do edital de licitação está prevista para julho e a assinatura, para novembro. Vencerá aquele que propuser o maior pagamento de outorga.

O Centro de Convenções Ulysses Guimarães tem 54 mil metros quadrados de área construída, composta pelas Alas Norte, Sul e Oeste, cinco auditórios — um deles com capacidade para 3 mil pessoas —, 13 salas moduláveis e áreas de apoio e amplos espaços para feiras e exposições. A taxa de ocupação anual fica, em média, na casa dos 42,5%. Com uma administração especializada, há potencial para subir esse porcentual para 65%.

Alternativa de desenvolvimento do DF

Segundo o advogado e professor de Direito Jorge Ulisses Jacoby Fernandes, o Governo do Distrito Federal – GDF encontrou nas PPPs uma alternativa para o desenvolvimento local. Para tanto, o Distrito Federal constituiu um Grupo de Trabalho para acompanhar e oferecer apoio técnico aos projetos de PPPs e demais formas de participação da iniciativa privada na prestação dos serviços públicos.

“O prazo de atividade do colegiado é de 180 dias, podendo ser prorrogado por igual período. É importante sempre relembrar que as PPPs cumprem o nobre desafio de viabilizar contratos específicos que, embora de interesse da Administração Pública, ainda não podiam ser executados por insuficiência de recursos públicos”, observa Jacoby Fernandes.

Redação Brasil News

Principais noticias politicas e economicas do Brasil, com analises de uma equipe de jornalistas e escritores independentes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.