Governo divulga boletim com despesas de custeio administrativo

O Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão – MP divulgou o Boletim de Despesas de Custeio Administrativo com dados atualizados até junho de 2018. O documento tem por objetivo dar transparência e ampla divulgação à composição das despesas necessárias para o funcionamento da Administração Pública Federal.

Os serviços de apoio corresponderam a 49% do total de despesas de custeio administrativo contabilizadas no primeiro semestre de 2018, ou seja, R$ 4,963 bilhões. O total de despesas de custeio entre janeiro e junho deste ano foi de R$ 10,082 bilhões. As despesas presentes no boletim estão agrupadas em oito tópicos: serviços de apoio; material de consumo; comunicação e processamento de dados; locação e conservação de bens imóveis; energia elétrica e água; locação e conservação de bens móveis; diárias e passagens e outros serviços.

Cabe à Secretaria de Orçamento Federal a definição e divulgação da metodologia de apuração das despesas de custeio administrativo, a elaboração e divulgação trimestral do Boletim e a atualização e disponibilização da série histórica das despesas. O Boletim de Despesas de Custeio Administrativo apresenta, ainda, a variação histórica dos valores. Há informações em valores reais e em termos nominais.

Para o advogado Jaques Reolon, devido a busca do reequilíbrio das contas públicas, o Governo tem procurado diversas formas de economia. Além dos dados do Boletim de Custeio Administrativo, o Governo Federal tem lançado diversas medidas para o reequilíbrio econômico brasileiro.

“Ontem, inclusive, o Banco Central divulgou dados sobre as contas públicas, que, apesar de ainda estarem negativas, tiveram uma leve melhora. A situação do País dá sinais de crescimento, mas ainda demonstra necessidade de passar por mudanças para que haja mais eficiência na gestão da dívida pública”, ressalta.

De acordo com Reolon, medidas de racionalização e redução de despesas desnecessárias são imprescindíveis.

“Vale destacar que a boa gestão da Dívida Pública Federal pode promover o bom funcionamento do mercado brasileiro e aumentar o crescimento econômico”, observa Jaques Reolon.

Boletim do Custeio Administrativo

Conforme dados do Boletim do Custeio Administrativo, a distribuição das despesas acumuladas no ano foram dividias em: serviços de apoio – 49%; material de consumo – 12%; energia elétrica e água – 10%; locação e conservação de bens imóveis – 8%; diárias e passagens – 6%; locação e conservação de bens móveis, comunicação e processamento de dados e outros serviços – cada um com 5%.

Em relação à evolução histórica, desde 2011, observa-se uma tendência de decrescimento desde o início de 2015, com pequena elevação em 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Redação Brasil News

Redação Brasil News

Principais noticias politicas e economicas do Brasil, com analises de uma equipe de jornalistas e escritores independentes.