Youssef implica José Dirceu e João Vaccari em delação premiada

Nos depoimentos em delação premiada divulgados nesta quinta-feira (12), o doleiro Alberto Youssef afirma que José Dirceu e o tesoureiro do PT, João Vaccari, receberam propina pelo Partido dos Trabalhadores no esquema de desvio de dinheiro da Petrobras.

Alberto Youssef detalha no depoimento a logística de como era repassado ao PT e ao PP o dinheiro de comissão de obras da Petrobras pago pelas empreiteiras. Youssef seria responsável pela entrega de dinheiro ao PP e Julio Camargo ao PT. Youssef trabalhava em parceria com o ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa e Julio Camargo com o ex-diretor de Serviços, Renato Duque.

De acordo com Youssef, as empreiteiras Mitsui Toyo e Camargo Corrêa depositavam os valores da propina combinada em diversas contas no exterior abertas em nome de empresas de Julio Camargo. O dinheiro era transferido para outras contas indicadas pelo doleiro ainda no exterior, para dificultar o rastreamento. Depois, Youssef era responsável por repatriar o dinheiro e entregava a parte do PP a Paulo Roberto Costa e a parte do PT a Julio Camargo, que por sua vez entrega a propina a Renato Duque.

Youssef disse ainda que, pelo PT, receptavam o dinheiro o atual tesoureiro do PT, João Vaccari, e José Dirceu, indicado nas planilhas da propina apreendidas pela Polícia Federal como “Bob”. Vaccari teria recebido pagamento da Toshiba, que temia ser excluída da obra da Petrobras no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro.

Ouvida, a Toshiba disse que os contratos com a Petrobras são resultado de licitações legais. José Dirceu repudiou as declarações de Youssef como mentirosas, em nota divulgada pela imprensa. João Vaccari negou ter recebido dinheiro de Youssef.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Redação Brasil News

Redação Brasil News

Principais noticias politicas e economicas do Brasil, com analises de uma equipe de jornalistas e escritores independentes.