Tufão atinge Japão e deixa 100 mil pessoas sem casa

Mais de 100 mil pessoas foram evacuadas de suas cidades depois que o tufão “Etau” atingiu o centro e o leste do Japão. A tempestade, que aconteceu nesta quinta-feira (10), deixou ruas e casas inundadas, um desaparecido e dezenas de feridos. Além disso, 7 mil construções foram completamente destruídas.

As autoridades japonesas enviaram helicópteros militares para ajudar no resgate das pessoas. No entanto, depois das fortes chuvas, as equipes de resgate afirmaram serem incapazes de manter o ritmo de trabalho.

Este é o segundo dia em que o país sofre com a força das águas. A emissora nacional NHK gravou imagens aéreas das equipes de resgate escalando prédios para alcançar moradores que esperavam por socorro.

Desespero

Uma das cenas filmadas mostra um socorrista descendo quatro vezes do helicóptero quatro vezes durante 20 minutos para salvar quatro pessoas. Enquanto isso, as águas invadiram a casa da família.

Imagens da televisão mostraram um homem pendurado em um poste, na tentativa de escapar da inundações. No início da tarde desta quinta-feira (10), o serviço de notícias informou que 39 pessoas haviam sido resgatadas.

Na cidade turística de Nikko, um deslizamento atingiu uma via que leva a uma zona termal, isolando 900 indivíduos.

Em um dia, chuva para um mês

Nas áreas mais afetadas do Japão, como Nikko, os níveis de chuva superaram em apenas 24 horas o dobro do normal para todo o mês de setembro. Em outras regiões, as águas acumularam mais de 500 milímetros nas últimas 24 horas, o maior volume dos últimos 30 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carla Machado

Carla Machado

Jornalista com experiência em assessoria de imprensa, onde trabalhou na produção de conteúdo interno e externo e no atendimento à imprensa, e em jornal, revista e site, nos quais foi repórter. No dia 22 de maio de 2014, recebeu o prêmio Paulo Octavio de Jornalismo, pela categoria Melhor Série de Reportagem, com a série #Brasíliaquerandar, do Jornal de Brasília.