Ministério da Justiça responde à críticas de Eduardo Cunha

O Ministério da Justiça respondeu, por meio de nota, na tarde desta sexta-feira (8), às críticas do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Mais cedo, o deputado disse que o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, tem uma “atitude seletiva” ao não solicitar inquéritos para apurar vazamentos que Cunha chamou de ilegais. Segundo o peemedebista, esses vazamentos ocorrem contra ele diariamente.

A nota de Cunha diz respeito a notícias divulgadas nos jornais que mostram detalhes de investigações em que o nome dele está envolvido. Em uma dessas reportagens, do jornal “O Globo”, há mensagens trocadas pelo deputado com o ex-presidente da empreiteira OAS, Léo Pinheiro. Nela, Cunha supostamente cobra o recebimento de dinheiro.

Ao se manifestar sobre as notícias, Cunha afirmou lamentar pela “a atitude seletiva do ministro da Justiça, que nunca, em nenhum dos vazamentos ocorridos contra o presidente da Câmara, e são quase que diários, solicitou qualquer inquérito para apuração”.

Em resposta, o Ministério da Justiça destacou que a determinação do ministro é investigar todo caso em que houver vazamento ilegal de investigações. O órgão também disse que o peemedebista pode solicitar uma apuração se achar que trechos da investigação vazaram ilegalmente.

“Caso o presidente da Câmara entenda que ainda existam vazamentos ilegais que exijam a abertura de novos inquéritos, poderá, como o tem feito em vários outros casos, representar ao Ministro da Justiça pleiteando a abertura de investigação que julgar devida”, destaca a nota do ministério.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Redação Brasil News

Redação Brasil News

Principais noticias politicas e economicas do Brasil, com analises de uma equipe de jornalistas e escritores independentes.