Pesquisa mostra que exercícios físicos ajudam a conter crescimento de tumores

Descoberta recente pelos pesquisadores do centro médico da universidade de Duken, nos EUA, mostra que a prática de atividades físicas leva as células doentes de quem tem câncer a absorverem melhor os quimioterápicos.

O efeito das atividades físicas em quem esta em tratamento contra o câncer, atinge os tumores sólidos, e em vez de torná-los mais fortes como acontecem com as células, os transforma em uma esponja para os medicamentos de quimioterapia, tornando mais efeita a absorção da terapia.

Como já se sabe, a importância das atividades físicas para uma melhor qualidade de vida. Os exercícios físicos, proporcionam uma oxigenação e vascularização importante ao organismo de qualquer indivíduo. Mas, nas pessoas em tratamento para câncer, além de potencializar a ação dos medicamentos, afasta os doentes do sedentarismo, gerando um círculo virtuoso em benefício da cura.

Reduz o Cansaço

Os exercícios para quem tem câncer ou já teve, evita a fadiga e o cansaço, mesmo anos depois em que a pessoa passou pela terapia. Quem tem ou teve câncer, permanece num estado inflamatório crônico, e é por isso que os benefícios do exercício físico são tão eficientes, diminui o potencial inflamatório e aumenta o estado de bem estar do paciente.

Biologia desconhecida

De acordo com o Dr. Paulo Roberto de Alcântara Filho, mastologista do A .C. Camargo, para se formar um cancro é necessário um processo rápido de  vascularização. A biologia do tumor faz com que os vasos fiquem frágeis, devido ao crescimento rápido, não havendo tempo para uma boa formação, não levam sangue adequadamente dentro do tumor e a mesma dificuldade é encontrada para chegada dos medicamentos.

Os exercícios físicos fazem com que os vasos tenha uma maior captação de oxigênio, isso já ocorre com células saudáveis, mas no caso de células comprometidas pelo câncer, com os exercícios físicos, há uma vascularização

Redação Brasil News

Redação Brasil News

Principais noticias politicas e economicas do Brasil, com analises de uma equipe de jornalistas e escritores independentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *