O Santo Sudário

O Papa Francisco visitou a diocese de Turim, na Itália, para venerar o Santo Sudário, numa das suas raras exposições pela Igreja Católica e também participou das comemorações do bicentenário do nascimento de Dom Bosco, o Santo educador da juventude.

Mais de dois milhões de pessoas, de todas as partes do mundo, participaram da última exposição pública do Santo Sudário realizada Catedral de Turim, em 2013.

O que motiva milhões de pessoas dirigirem-se à Catedral de Turim para essa venerar essa preciosíssima relíquia da Igreja Católica?

Setecentos anos antes de Cristo, o profeta Isaías já nos descrevia o Homem sofredor que gravou sua imagem com sangue no Santo Sudário: “homem das dores, experimentado nos sofrimentos … tomou sobre si nossas enfermidades e carregou os nossos sofrimentos … ele foi castigado por nossos crimes e esmagado por nossas iniquidades; o castigo que nos salva pesou sobre ele; fomos curados graças às suas chagas … foi maltratado e resignou-se; não abriu a boca, como um cordeiro que se conduz ao matadouro … por um iníquo julgamento foi arrebatado … foi-lhe dada supultura ao lado de facínoras e ao morrer achava-se entre malfeitores, se bem que não haja cometido injustiça alguma e em sua boca nunca tenha havido mentira … o Justo, meu Servo, justificará muitos homens e tomará sobre si suas iniquidades … tomando sobre si os pecados de muitos homens, e intercedendo pelos culpados”. (Isaías, 53).

““Desde sempre todos os cristãos desejam poder descobrir como efetivamente era o “rosto” do Filho do homem e desta forma obter uma ulterior “prova” histórica da sua existência!”, nos diz Yoannis Lahzi Gaid, sacerdote egípcio, Secretário da Nunciatura, no Vaticano, no livro intitulado “Via crucis dalla Bibbia ala Sindone”.

O Evangelho de São Mateus (27, 57-60) nos diz: “À tardinha, um homem rico de Arimatéia, chamado José, que era também discípulo de Jesus, foi procurar Pilatos e pediu-lhe o corpo de Jesus. Pilatos cedeu-o. José tomou o corpo, envolveu-o num lençol branco e o depositou num sepulcro novo, que tinha mandado talhar para si na rocha. Depois rolou uma grande pedra à entrada do sepulcro e foi-se embora”.

A ciência não consegue explicar nem reproduzir a imagem corpórea de Cristo gravada no Sudário, pois para formá-la seria necessária uma explosão de energia, muito intensa e instantânea, de 50 milhões de volts, equivalentes à concentração instantânea de 50 raios, num mesmo instante e num mesmo ponto, algo impossível de ser produzido em laboratório, mesmo com os recursos mais sofisticados do atual estágio do desenvolvimento científico e tecnológico.

Estudos e pesquisas sobre o Santo Sudário continuam a ser feitos no mundo inteiro por estudiosos e especialistas. No dia 2 de maio de 2015, cerca de 300 especialistas e estudiosos participaram, em Turim, do encontro anual do Centro Internacional do Santo Sudário, com o objetivo de avaliar estudos e pesquisas e indicar temas que necessitam de novos estudos.

O Papa Francisco gravou, em março de 2013, mensagem em que afirmou: “O Rosto do Sudário comunica uma grande paz; este Corpo torturado exprime uma soberana majestade. É como se deixasse transparecer uma energia refreada, mas, poderosa; é como se nos dissesse: tem confiança, não percas a esperança; a força de Deus, a força do Ressuscitado tudo vence”.

O Cristo que venceu a morte continua a atrair homens e mulheres, bons e maus, justos e injustos, pois todos são filhos de Deus, que está sempre pronto a nos perdoar e a receber de volta e com alegria todos os filhos pródigos.

A ressurreição de Cristo é um mistério que continua a desafiar nossa inteligência limitada, que muitas vezes esquece que as coisas invisíveis são maiores e mais importantes que as visíveis.

“Muitas coisas ainda tenho a dizer-vos, mas não as podeis suportar agora. Quando vier o Paráclito, o Espírito da Verdade, ensinar-vos-á toda a verdade”, afirmou Jesus, em João,16, 12-13.

A Ressurreição de Lázaro (João 11) representa uma preparação para nosso entendimento da Ressurreição de Cristo, pois Marta, irmã do morto, disse: “Senhor já cheira mal, pois há quatro dias que ele está aí… Respondeu-lhe Jesus: “Não te disse eu: Se creres, verás a glória de Deus …”Lázaro, vem para fora!” E o morto saiu tendo os pés e as mãos ligados com faixas, e o rosto coberto por um sudário. Ordenou então Jesus: “Desligai-o e deixai-o ir.”

Muitos esquecem que o tempo do mundo é marcado por um antes e um depois de Cristo. Nenhum outro homem sobre a terra pode competir com o Filho de Deus feito homem, pois a vida é breve, as obras humanas são passageiras e não resistem ao tempo.

Tudo passa. Só Deus não passa.

O Santo Sudário nos lembra que Deus é Amor e que está sempre pronto a receber com alegria e perdão todos os filhos pródigos.

por José Fernandes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Redação Brasil News

Redação Brasil News

Principais noticias politicas e economicas do Brasil, com analises de uma equipe de jornalistas e escritores independentes.